O Caminho do Guerreiro

Arnaldo Celso do Carmo


”Tudo o que vês é o resultado dos teus pensamentos.
Não há nenhuma exceção para este fato...
Como um homem pensa, assim ele percebe.
Portanto, não busques mudar o mundo,
mas escolhe mudar a tua mente sobre o mundo.
A percepção é um resultado e não uma causa.”

Um Curso em Milagres

“A sua atenção determina o mundo que vê.
Não existe nada como uma realidade objetiva lá fora, fixa, imutável.
Tudo depende da qualidade da atenção
que você utiliza para se relacionar com o mundo.
Quando você muda o seu olhar, o seu mundo também muda.”

Carlos Castaneda

            Duas fontes tão diferentes, um texto contemporâneo de conteúdo cristão da qualidade do Curso em Milagres e a antiga Sabedoria Tolteca, colocam com grande clareza a premissa básica de todo Trabalho que buscamos desenvolver no ISH: meus pensamentos determinam o mundo que vejo e com o qual interajo.

            Os pensamentos que estou tendo agora, enquanto escrevo este texto estão, de alguma maneira, determinando o mundo que vejo e experimento à minha volta. Não os que tive ontem ou os que terei amanhã.

             Uma afirmação desta natureza desafia a crença milenar embutida e oculta em toda cultura ocidental de que existe uma realidade fixa e imutável fora de nós, esperando para ser descoberta. Um mundo mecânico no qual as fórmulas matemáticas que o descrevem sempre funcionam da mesma maneira. Ao contrário, ela diz que a realidade está lá fora esperando para ser criada e experimentada de maneiras diferentes e surpreendentes por cada um de nós, que temos igualmente o poder de fazê-lo.
            Quantas questões uma colocação como essa levanta imediatamente! Mas não temos a intenção de estimular de forma nenhuma o debate em torno delas mas sim de ajudar cada um a enfrentar por si mesmo o desafio colocado e encontrar suas próprias respostas.
            Essa é a natureza do que chamamos de O Caminho do Guerreiro.

             Um conjunto de exercícios e práticas que nos levam a questionar as certezas imutáveis do mundo comum, não no terreno intelectual mas na vivência do cotidiano, nas nossas tarefas mais comuns.
            E porque? Porque sabemos que é na intimidade do dia a dia que gastamos a maior parte da nossa energia recriando um mundo sempre igual, esforçando-nos para torná-lo semelhante ao que vivemos ontem, assustados com a perspectiva de que ele possa mudar, mesmo que seja para melhor e assim impedimos o surgimento da Nova Realidade.
            Por isso a postura do guerreiro é necessária, porque teremos que encarar um medo sempre presente e compartilhado por todos, o medo do novo e do desconhecido e só como um Guerreiro seremos capazes de enfrentá-lo sem nos destruir.
            Neste caminho estimulamos todos a desenvolver os dois atributos centrais do ser humano: nossa capacidade de atenção e nossa vontade. Aprender a controlar a qualidade dos seus pensamentos é a chave para aqueles que querem evoluir e experimentar uma nova maneira de ser mais livre, mais flexível, mais tranqüila, mais feliz. Uma maneira de viver a vida que desconhece o tédio e o aborrecimento.
            Para isso necessitamos de uma capacidade de atenção bem desenvolvida, capaz de flagrar os momentos de decisão fundamentais da nossa vida, que acontecem na profundidade das nossas atividades diárias e, portanto, são muito difíceis de serem distinguidos por uma mente sem treinamento.
            Além disso necessitamos de uma vontade forte e bem trabalhada, capaz de manter o ritmo e a direção das nossas decisões numa orientação coerente que possa levar a resultados verdadeiros e não apenas a mais algumas boas idéias.
            Buscamos transformações reais, experiências mais plenas, num mundo mais dinâmico, humano e verdadeiro, muito diferente do que o que temos hoje. Um mundo que é de criação e responsabilidade nossas, uma responsabilidade que aceitamos com alegria e onde não há lugar para vítimas nem para a culpa avassaladora que hoje corrói o nosso planeta.
            Um mundo de homens livres!


Topo