Quando nasce, o ser humano é fraco e flexível.

Quando morre,é forte e rígido.

As plantas são macias e tenras quando novas.

Secas e duras quando morrem.

A firmeza e a resistência são sinais da morte.

A fraqueza e a flexibilidade, manifestações da vida.

Lao Tsé

 


 

 


Disciplina X Rigidez

Rodrigo Gentil Palma



É comum fazermos uma grande confusão entre Disciplina e Rigidez,
por vezes achando que são a mesma coisa embora sejam muito diferentes.


Diversas pessoas seguem à risca ensinamentos trazidos por Escolas de Sabedoria, possuindo práticas diárias como meditações, exercícios e hábitos alimentares. Entretanto ao olharmos em seus olhos vemos muitas vezes que não são pessoas felizes, possuem muita rigidez em suas atitudes e uma crítica excessiva a tudo aquilo que não se enquadra em seu modo de viver. Por vezes chegamos a pensar que aqueles ensinamentos não são bons. Afinal, trazem tensão e até tristeza. Mas isto não é necessariamente verdade, já que o que pode estar ocorrendo é que a pessoa simplesmente vem confundindo Disciplina com Rigidez, um erro bastante comum gerado por uma ilusão fortemente enraizada no ser humano:
A Ilusão da INSATISFAÇÃO
.

A insatisfação é um conceito que permeia nossas vidas e rege o mundo atual. É só parar para observar e veremos que estamos sempre em busca de alguma coisa, seja algo material como dinheiro, casa, família ou emprego ou algo sutil como paz, felicidade, harmonia ou evolução. Ou seja, acreditamos que a vida é uma questão de estabelecer objetivos e de lutar por eles. Pense um pouco ... Não é este o princípio que rege o mundo e toda a humanidade? Não é isto que nos impulsiona e nos dá forças? Mas afinal, o que há de errado em BUSCAR ?
Não há nada de errado! Entretanto é importante saber que buscar não é a melhor forma de encontrar. Isto porque quando buscamos algo estamos automaticamente afirmando que não possuímos aquilo que buscamos. Ou seja, criamos uma vida onde podemos viver basicamente duas experiências: a da insatisfação e/ou a da busca pela satisfação. Assim, ou estamos infelizes ou correndo atrás da felicidade,... o que também não é SER FELIZ.


É neste ponto que entra a Disciplina, definida como a forma de acabar com este ciclo infindável e de finalmente encontrar. Não porque ela consiga satisfazer as insatisfações do ser humano, mas porque desmascara a ilusão de que há algo a ser satisfeito.

Ter disciplina é ser livre da necessidade de buscar. É abandonar o sentimento de que nos falta algo e de que precisamos fazer alguma coisa para consegui-lo. É simplesmente apreciar o Universo e a nós mesmos com admiração, reverenciando tudo e todos como algo sagrado e perfeito.


Examine qualquer ferramenta que nos ajuda a resgatar o nosso verdadeiro Ser: exercícios de presença, temaskalis, vision quests, Um Curso em Milagres...etc. Todas nos levarão a um ponto onde seremos “obrigados” a parar de afirmar aquilo que nos falta. Dizem-nos os mestres: “Aquiete a Mente”, “Abandone todos os desejos e apegos”, “Fique presente”, “Perdoe”, “É preciso morrer para renascer”, “Entregue-se a algo maior” e assim por diante, o que talvez possa ser resumido em: SILÊNCIO!!! Pares de dizer a ti mesmo que te falta algo e verás que és Tudo. Pares de buscar e encontrarás.


Assim, esta é a grande diferença entre Disciplina e Rigidez. Na Rigidez acreditamos que necessitamos de algo que não temos, que precisamos sofrer bastante para então acreditar que merecemos um pouco e finalmente ganhar o que nos faltava, enquanto que na Disciplina apenas nos lembramos de que nada nos falta.

A mente rígida não percebe que ganhou por finalmente acreditar que merecia, mas acha que foi por ter pago o preço com o seu sofrimento. Esta é a prisão em que vive, agindo sempre motivada pelo medo de perder o pouco que tem. Por outro lado, a mente disciplinada põe um fim a esta loucura, não pagando preço algum, sabendo que não há nada a ser comprado, age simplesmente por AMAR tudo o que tem.

Topo